2º debate — 24/11/21 — 19 horas

Conversa sobre sementes, agricultura familiar e comercialização dos produtos:

– Ana Maria e José Adão (agricultores familiares)
– André Camargo (Mercadinho Tá Caindo Fulô)
– Bruno Rodrigo Silva Diogo (Diretor Produção MST)
– Marcelo Engster (Realizador audiovisual)

Mediação: Cardes Monção Amâncio (Cinecipó)

Ana Maria e José Adão – moradores da Vitória nas ocupações da Izidora, agricultores de horta familiar e feirantes de produtos orgânicos.

André Camargo é natural de Belo Horizonte, morador de Santana do Riacho (Melo e Serra do Cipó) há 9 anos. Formado em ciências biológicas pela PUC-MG. Ex-presidente da Associação de Produtores Rurais e Artesãos Santanense, ex-gerente e atual coordenador de agroecologia do Mercadinho Tá Caindo Fulô(Associação de Agricultores Familiares, Artesãos e Artistas da Região da Serra do Cipó).
Bruno Rodrigo Silva Diogo faz parte da direção estadual do MST pelo setor de produção. Foi coordenador da área de política do Armazém do Campo (BH). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Agroecologia. Possui graduação em engenharia agronômica pela UFMG. Se especializou em Economia e Desenvolvimento Agrário pela Universidade Federal do Espírito Santo.
Marcelo Engster é graduado em Comunicação (UFSM), estudou cinema na Escola de Cinema Darcy Ribeiro (RJ) e nas oficinas do Cinemaneiro (RJ) e do RECAM (Paraguai). Trabalha na área há 10 anos e já atuou como diretor, assistente de direção, roteirista e montador de video e cinema. Dirigiu curtas, webséries e clipes, recebendo mais de uma dezena de prêmios. Como assistente de direção trabalhou em curtas como “Marielle And Mônica” (The Guardian, direção de Fábio Erdos), webséries como “Guardiões do Cerrado” (ActionAid, direção de Fábio Erdos) e no longa “Eu Não Sou Napoleão” (direção de Rogério Faria Jr). Montou curtas, clipes e séries de TV, com destaque para os programas Tv Piá, da Tv Brasil e Brasil das Crianças, da Tv Futura, ambos dirigidos por Dilea Frate, o longa “Botafogo: 100 anos de Amor e Glórias” (Chuteira Preta Filmes, direção de Igor Ramos) e o curta “Soccer Boys” (Canal Futura, direção de Carlos Guilherme Vogel), pelo qual ganhou os prêmios Melhor Montagem na Mostra Cine Verão 2020 e Melhor Edição na Mostra Brasil do FESTCIMM 2020. Foi, por cinco anos, editor e autor no site Quadrinhólatra. Autor do livro “Processos Criativos nos Quadrinhos” (2021), indicado à Melhor Livro Teórico no prêmio HQMix 2021.
Cardes Monção Amâncio é doutor em Estudos de Linguagens pelo CEFET-MG com a tese “Biopolítica, cinema e a construção do devir-afropindorâmico”. Coordenador do Cinecipó – Festival do Filme Insurgente, que em 2021 completa 10 edições, realizado em Belo Horizonte e na Serra do Cipó. Colaborador do projeto Cinema dos Quilombos, que ministra oficinas audiovisuais nos territórios e promove a Mostra Cinema dos Quilombos (www.cinemadosquilombs.com.br), em parceria com a Associação Quilombola Marques. Integrante do Espaço Comum Luiz Estrela, ocupação cultural de um casarão público que estava abandonado, organizado por autogestão em núcleos, entre eles o Núcleo Audiovisual que organiza sessões de filmes e cuida do acervo imagético da ocupação.