Equipe

Coordenadores:

Cardes Monção Amâncio

Diretor e roteirista de filmes, doutorando em Estudos de Linguagens no Cefet-MG. Também coordena a Naparama Cultural, organizadora do Cinecipó. Produziu vários vídeos autorias, entre eles o longa-metragem, a “Rota do Sal Kalunga”.

Daniela Pimentel

Psicóloga, mestranda em Teoria Psicanalítica – Investigações no Campo Clínico e Cultura pela UFMG, com incursões pelo cinema, como coordenadora do Cinecipó, produtora de longas e curtas, produtora e curadora da Coletiva Malva – coletiva voltada para disseminação do cinema feito por mulher.

Curadoria:

Fabiana Leite

É realizadora de cinema e fotógrafa; mestra em Educação pela UEMG, com estudos sobre a relação entre cinema e gênero. Tem especialização em Filosofia pela UFMG e em Psicologia pela USP. No cinema, realizou as seguintes obras: – Direção e roteiro do documentário sobre mulheres presas “Os Lírios não nascem da lei: sobre o encarceramento de mulheres gestantes” (2015, 70 min); Direção do curta documentário “Dentro e fora de quadro” (2015,16 min), abriu o Festival de Cinema de Conquista (2015); Direção do média-metragem de ficção “A batalha das Colheres” (2015, 26 min), selecionado pelo Edital Carmem Santos do Ministério da Cultura (2013); – Realização do curta documentário “17 de junho” (2013, 16 min), sobre as manifestações anti-copa, selecionado no Fórumdoc 2014; – Roteiro, direção e fotografia de “Onde mora a saudade” (2012, 20 min), admitido no Court Métrage Festival de Cannes 2013; – Roteiro e Assistência de direção do curta-metragem “Três Palavras” (2012, 17 min) de Gabriela Leite, Salvador/BA, exibido no VI Panorama Internacional de Cinema de Salvador/BA em 2010, na Mostra Cinema de Vitória da Conquista/BA em 2010 e no Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana/MG em 2010; – Produção, direção, roteiro e direção de fotografia do filme de curta-metragem “Cabeça de Gente” (2012, 10 min), Belo Horizonte/MG, exibido no 1º Festival Ambiente Vivo em Lapinha da Serra/MG em 2010; Filme selecionado para o Court Métrage Short Film Corner, Festival de Cannes 2011; – Produção, direção e roteiro do filme de curta-metragem “O cheiro do mundo” (2012, 22 min), Belo Horizonte, 2011; – Direção e roteiro do curta-metragem “É Tarde” (2010, 5 min) produzido na Academia Internacional de Cinema de São Paulo em 2010; Direção e Fotografia do curta documentário sobre a população de rua de Belo Horizonte “O invisível não existe” (2012, 4min), exibido em Buenos Aires em 2012 dentro do Projeto “Cidades Invisíveis”.

Letícia Souza

Formada em História pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Atualmente atua como fotografa, e é curadora e produtora da Coletiva Malva – Coletiva composta por mulheres, a fim de pensar, fazer e exibir filmes, enfatizando e priorizando o olhar de mulheres de forma interseccional – que está indo para 4ª Mostra de Cinema Feminista no inicio de 2018, além de ter realizado 1 Mostra Cine-Rua Feminista na Virada Cultural de Belo Horizonte e ter feito parcerias de Mostras de Cinema com a Rede Feminista de Saúde e Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais e o CineCipó no Projeto Cinema nos Quilombos e uma edição da Mostra de Cinema Feminista em Florianópolis.

Paulo Heméritas – Curador. Sociólogo e professor universitário.

Estou no Cinecipó através de uma presença. Ela começa com a análise fílmica  e seleção crítica das obras e desdobra-se na missão inseparável  de um trabalhador intelectual nômade. Compreende os cuidados com a exibição como:  a montagem e posicionamento das telas e projetores; a formação da plateia; a apresentação das sessões dos Festivais e, a mediação dos debates entre os espectadores e realizadores. O Festival configura-se assim como uma verdadeira e legítima “Caravana Cinecipó” e seu desafio de, por onde passar,  desembaraçar as amarras que impedem a democratização do acesso ao conhecimento e à cultura através da sétima arte.

 

Caio Resende

Poeta, cineasta e letrista, Caio Resende (Thiago Silva). Graduado em cinema pela UESB – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia –, trabalha como roteirista desde 2009, tendo atuado ao lado de nomes  de grande experiência dentro do cinema, como o  cineasta Geraldo Sarno. Participou também de diversos festivais de Cinema, tais como o Short Film Corner (Festival de Cannes), que exibiu o documentário ‘Tragédia do tamanduá’, do qual foi roteirista. No âmbito da poesia, publicou em diversos meios digitais e impressos, a exemplo da revista Germina. Atualmente, trabalha na série Sertão de Dentro (ainda inédita) e se prepara para filmar seu novo filme.

 Júri

Dayane Tropicaos, graduanda em Artes Visuais na Escola de Belas Arte da UFMG, uma das idealizadoras do Cine Sem Churumelas, coletivo que desde 2015 realiza ações de fomento à produção audiovisual amadora e independente. Com o grupo, participou da residência “Reboque” no JACA – Centro de Arte e Tecnologia em 2016, do “Ações Multiplicadoras” na OIKABUM em 2015 e desenvolveu a publicação Filmes Feitos à Mão em 2016, com conteúdo de dicas para produção independente de filmes, que foi distribuída em dez pontos na cidade de Contagem. Idealizadora do projeto “O Inusitado Cabe Dentro do Comum”, realizado em Contagem, 2015. Participou das mostras “Timeline – Festival Internacional de Vídeo de Belo Horizonte” em 2017 e 2016, “1º ANIMACÊ – Mostra de Cinema de Animação do Cerrado” em 2015, “Mostra do Filme Livre” em 2017 e 2014, “15º FestCurtasBH” em 2013. Participou das exposições coletivas, “Ninguém me dirá quem sou nem saberá quem fui” na galeria MAMA CADELA em 2017, “Am@stra.BH”, na galeria Casa Camelo, que compôs o evento “Diversas –2ª Mostra Feminista de Arte e Resistência”, em 2016, e da “Exposição de Guerrilha” em 2014.

 

Tatiana Costa

É realizadora audiovisual e mestre em Comunicação Social (UFMG). Integrante do coletivo Elas Pretas e da Segunda Preta. Professora nos cursos de Cinema e Audiovisual e de Jornalismo Multimídia do Centro Universitário UNA, coordenadora do projeto de extensão universitária Pretança e colaboradora do Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania LGBT – NUH/UFMG. Realiza trabalhos de pesquisa acadêmica e de produção audiovisual relacionados às subalternidades contemporâneas. É co-autora dos livros “Olhares Contemporâneos: Comunicação, Moda e Cinema”  (editora IUS, 2011), “Mulheres Comunicam: Mediações, Sociedade e Feminismos” (editora Letramento, 2016) e “Respeito à diversidade e aos Direitos Humanos no ambiente escolar: experiências no ensino superior” (editora Letramento, no prelo).

 

 

Anúncios