Filmes Belo Horizonte – 2015 (Sesc Palladium)

CINECIPÓ – SESC PALLADIUM / BH

Dia 23/10/15 | Sexta-feira | 20hs | Programa 1 curtas – Competitiva V Cinecipó

O Sepulcro do Gato Preto – Dir. Kaneda Asfixia e Frederico Moreira, Documentário, 25′, SP, 2015

A busca por um jovem desaparecido no subúrbio de São Paulo leva seus amigos a uma história ainda maior: o desaparecimento de uma comunidade inteira na região norte da cidade. Em meio à história da exploração do minério ao suor dos trabalhadores locais, os jovens caminham pelos escombros com uma câmera na mão, e são surpreendidos por aqueles que ainda lutam pela comunidade. Uma vila que teve importante papel na história do País, mas que não se imaginava seu lado sombrio além dos holofotes.

Sant’Ana – Dir. Angelo Defanti, Documentário, 16′, RJ, 2014

“Mas é o seguinte, se um cara é escritor e quer escrever sobre sua realidade, esta realidade estará impregnada do fato de ele ser escritor”. André é filho de Sérgio.

Apelo – Dir. Clara Ianni e Débora Maria da Silva, Experimental, 13′, SP, 2014

Apelo surge da urgência em lidar com a institucionalização da violência no Brasil – consolidada ao longo da história do país, desde a invasão européia no início do séc. 16 – e a dificuldade em nos relacionar com seu legado. Filmado no Cemitério Dom Bosco no bairro de Perus, na periferia de São Paulo, onde a paisagem urbana e campestre se encontram, a obra conecta atos de violência do presente com os do passado por meio de um discurso público. O cemitério foi criado em 1971 pelo governo militar (1964-1985) para receber cadáveres de vítimas do regime repressor, em sua maioria desaparecidos, que logo viriam a ser sepultados em vala clandestina comum. A porta-voz do discurso e co-autora da obra, Débora Maria da Silva, teve seu filho assassinado em 2006, vítima das ações conduzidas por esquadrões da morte da polícia militar de São Paulo – uma das mais letais do mundo – em resposta aos ataques da organização de encarcerados Primeiro Comando da Capital (PCC). Hoje, Débora lidera o movimento Ma?es de Maio, formado por mulheres que também perderam os seus filhos devido à violência policial e exigem investigação e justiça.

Marrocos – Dir. Andrea Nero e Iajima Silena, Documentário, 8′, SP, 2015

O espaço do antigo Cine Marrocos é hoje ocupado por cerca de 500 famílias organizadas em torno de um movimento social pela habitação. O mesmo espaço há décadas atrás era cenário de importantes episódios da cinematografia brasileira. A palavra Marrocos transforma-se em ponte possível de acesso à culturas que possuem a prática nômade e o cenário desértico como elementos marcantes de um imaginário praticamente atemporal. O documentário utiliza-se destes elementos para abordar – privilegiando aspectos sensoriais e imagéticos – as realidades provisórias que atravessam a história de vida do Cine Marrocos e de seus atuais moradores. Marrocos é um documentário que aborda o tema da transitoriedade, criando relações com o imaginário do nomadismo que se identifica com o atual contexto urbano.

Anjos morrem na terra (Angels die in the soil)Dir. Babak Amini, Ficção, 30′, Irã, 2014

Uma garota curda vive na fronteira do Irã e do Iraque, onde procura por ossos de soldados iraquianos mortos na guerra entre esses dois países, para vender aos familiares.

Ritual Pam Pam Pam – Dir. Ramon Coutinho, Experimental, 4′, BA, 2014

No território Caiataia, tribos sociais se organizam regularmente em rituais sonoros que reproduzem o “Pam-pam-pam” ou “Canto dos deuses furiosos”. Através de enormes caixas de som em veículos automotores, milhares de pessoas participam com danças e bebidas, buscando elevar os prazeres carnais e espirituais.

24/10 /15 | Sábado | 16hs | Programa 2 curtas – Competitiva V Cinecipó

Gaivotas ou o que Fazer com os Braços – Dir. Ramon Coutinho, Documentário, 23′, BA, 2015

Dois atores questionam suas escolhas através de uma cena do texto teatral “A Gaivota”, do dramaturgo e escritor russo Anton Tchecov. Um filme do CUAL.

O Centro do Quarto (Center of the room) – Dir. Daniel Diosdado, Experimental, 8′, EUA, 2015

Entre 1995 e 2000, com a justificativa de reduzir a pobreza, mais de 300.000 mulheres e 25.000 homens foram esterelizados à força no Peru. DeMotion Act combina dança, atuação e cinema para trazer consciência social para mulheres e homens das lutas de sobrevivência em diversas sociedades.

Habitar (Habitar) – Dir. Mikel Subiza Jiménez, Experimental, 15′, Espanha, 2015

É possível construir um espaço amplo e profundo, aberto para a luz do sol e da lua? Habitar apresenta um encontro entre escultura e dança. Inspirado no trabalho de Eduardo Chillida, expõe diferentes formas de interação social. Seu propósito é iniciar um diálogo que nos levará próximo àquilo que nos mantém unidos.

Entrecorpos – Dir. Gustavo Raulino, Experimental, 12′, SP, 2015

Estamos em uma 2014 fora do tempo, num cenário em que uma represa seca de solo craquelado representa a cidade de São Paulo. Um único casal, Mariana e Renan, habita esse deserto, a cidade desintegrada. Ao se reconhecerem naquele contexto, os dois passam a investigar as causas da seca. Mariana escreve um texto para o qual Renan dá voz. Os dois se comunicam no silêncio, enquanto o poema-narração tece as primordiais imagens que se alternam entre a intimidade serena do interior da casa e a hostilidade árida do espaço externo. Aos poucos a consciência deles desperta para a falta que causa a falta d’água: a falta do entre, a desconexão de todos os corpos, o corpo espiritual e o corpo material, o corpo de um e o corpo do outro, o corpo humano e o corpo Terra. A falta d’água, substância da vida, seria também a falta do sentimento oceânico de ser parte de um todo. À medida que o casal passa a ver-se na problemática e como problemática, as fronteiras entre seco e molhado, vida e morte, espírito e matéria, voz e texto, começam a se dissolver no pó.

Crônicas de uma Cidade Inventada- Dir. Luísa Caetano, Documentário, 25′, DF, 2014

Um dia na vida de Brasília. A correria da urbe, a experiência noturna, o vazio da madrugada e um novo amanhecer na cidade planejada e construída para se tornar a capital do país. As histórias cotidianas contadas pelos habitantes deste palco urbano constituem o mosaico de Crônicas de uma Cidade Inventada. Ficção e documentário se complementam nessa construção.

24/10/15 | Sábado | 18hs | Longa 

A Lei da Água (Novo Código Florestal) – Dir. André D’Elia, Documentário, 78′, SP, 2014

A Lei da Água (Novo Código Florestal) esclarece as mudanças promovidas pelo novo Código Florestal e a polêmica sobre sua elaboração e implantação. O documentário mostra como a lei impacta diretamente a floresta e, assim, a água, o ar, a fertilidade do solo, a produção de alimentos e a vida de cada cidadão. Produzida ao longo de 16 meses, a obra baseia-se em pesquisa e 37 entrevistas com ambientalistas, ruralistas, cientistas e agricultores. Retrata ainda casos concretos de degradação ambiental e técnicas agrícolas sustentáveis que podem conciliar os interesses de conservação e produção da sociedade.

24/10/15 | Sábado | 20h15 | Programa 3 curtas – Competitiva V Cinecipó

Um Rio em Disputa – Dir. Marcio Isensee e Sá, Documentário, 22′, PA, 2015

Às vésperas de perderem suas terras para mais uma megausina hidrelétrica estratégica para o governo federal, comunidades do Rio Tapajós, um dos mais preservados do país, preparam-se para defender o que é seu.

Dystopia – Dir. Sunyong Bak, Ficção, 13′, Coreia do Sul, 2015

Enquanto os pobres tem seu sangue drenado, os ricos tomam uma bebida vermelha.

Exília – Dir. Renata Claus, Documentário, 24′, PE, 2015

Dona Bernadete visita Dona Leriana, sua antiga vizinha na Ilha de Tatuoca.

O sonho do nixi pae – Dir. Amilton Mattos, Documentário, 20′, AC, 2015

O SONHO DO NIXI PAE percorre os cinco anos da trajetória do MAHKU – MOVIMENTO DOS ARTISTAS HUNI KUIN. O MAHKU reúne o grupo de pesquisadores das artes visuais e da musicalidade do povo huni kuin que vive no estado do Acre, Brasil. O MAHKU foi idealizado por Ibã Huni Kuin, professor e pesquisador da cultura musical huni kuin, a partir do Projeto Espírito da Floresta, resultado de parceira iniciada em 2009 com Amilton Pelegrino de Mattos (LABI – Laboratório de Imagem e Som/Licenciatura Indígena/Universidade Federal do Acre – Campus Floresta)

Eu não penso igual a eles – Dir. Richard Pinheiro dos Santos, Documentário, 7′, SP, 2014

Índio Badaross. Morador de rua e dependente químico que encontrou nas artes um alívio para suas mazelas.

Dia 25/10/15 | Domingo | 16hs | Programa 4 curtas – Competitiva V Cinecipó

Hospedeira – Dir. Rita Carelli, Ficção, 15′, SP, 2014

Fazia-se na floresta um trabalho secreto do qual ela começava a se aperceber.

Eu, mulheres – Dir. Fábio Teófilo, Documentário, 19′, GO, 2014

Este documentário mostra, através de diversos pontos de vista, o que contribui para a mulher se encontrar em situação de violência. Como chegamos a esse ponto? Como isso surgiu em nossa sociedade?É mostrada também a responsabilidade da mídia como mantenedora dessa posição de subordinação da mulher e as lutas que são travadas para mudar esse panorama.

Batalha das colheres – Dir. Fabiana Leite, Ficção, 26′, MG, 2015

Após ser abandonada por Francisca, Salomão projeta contra ela uma vingança cruel e em seguida parte para um lugar distante onde pretende tocar sua vida impunimente, ao lado de outra mulher. Ele só não esperava que bem ali, naquele pequeno vilarejo, um lugar “sem lei”, poderia ser confrontado pelos seus atos.

Sem Coração – Dir. Nara Normande e Tião, Ficção, 25′, PE, 2014

Léo vai passar férias na casa de seu primo, em uma vila pesqueira. Lá, ele conhece uma menina apelidada de “Sem Coração”.

25/10/15 | Domingo | 18hs | Longa

Félix, o herói da Barra – Dir. Edson Fogaça, Documentário, 72′, DF, 2015

Félix José Rodrigues é um personagem presente na memória coletiva da comunidade quilombola de Barra de Aroeira, Santa Tereza (TO). Ele, um ex-escravo, teria lutado na guerra do Paraguai e recebido das mãos do Imperador D. Pedro II, uma grande extensão de terras no antigo norte de Goiás, pela sua atuação no conflito. A perda do documento original, após a sua morte, leva seus descendentes à uma saga que já dura mais de 50 anos, cujo objetivo é o de comprovar esta história e recuperar o território original, hoje ocupado por inúmeras fazendas e por 2 cidades.

Dia 25/10/15 | Domingo | 20h15 | Programa 5 curtas – Competitiva V Cinecipó     

Índios no poder – Dir. Rodrigo Arajeju, Documentário, 21′, DF, 2015

Mario Juruna, único índio parlamentar na história do país, não consegue se reeleger para a Constituinte (1987/88). Sem representante no Congresso Nacional desde a redemocratização, as Nações Indígenas sofrem ataques aos seus direitos constitucionais pela Bancada Ruralista. O cacique Ládio Veron, filho de liderança Kaiowa e Guarani executado na luta pela terra, lança candidatura a deputado federal nas Eleições 2014 sob ameaças do Agronegócio.

H – Dir. Albert Kuhn Bosch, Ficção, 12′, Espanha, 2014

H explora as sensações de um lugar tranquilo em um contexto violento. Observa os limites entre dentro e fora, paz e guerra, libido e política, se é que eles existem.

Em terras estrangeiras – Dir. Absair Weston, Ficção, 18′, GO, 2015

Beto, é como muitos jovens que sai do lugar onde mora, para tentar uma vida melhor em outro lugar. Mas ele vai ter muita diculdade para se comunicar no novo mundo que ele escolheu pra viver.

Eco de Femmes – Dir .Carlotta Piccinini, Documentário, 30′, Itália, 2014

Seis mulheres Zina, Cherifa, Halima, Fátima, Mina e Jamila, vivem na área rural de Marrocos e Tunísia e dividem seus sonhos e lutas por emancipação através do trabalho. Elas estão conectadas por um objetivo em comum: alcançar reconhecimento profissional e de gênero.

Água – Dir. Cristiano Sousa, Documentário, 2′, GO, 2015

Reflexão sobre a água, sua distribuição e a necessidade de economia no seu uso. Um alerta para que não haja desperdício hoje e no futuro.

Honório, dois minutos de sol (Honorio dos minutos de sol)- Dir. Paco Gisbert e Paqui Ramírez, Animação, 5′, Espanha, 2015

Honório, um idoso que vive numa grande cidade tem uma missão: ele quer sentir pela última vez o sol. Mas isso não será fácil.

Kidchup – Dir. Carolina Giannini Veirano e Guilherme Ghussn, Animação, 2′, SP, 2014

Kidchup, o tomate mais rápido do oeste, deve derrotar os lixos malvados para salvar sua amada Rabaneide.

30/10/15 | Sexta-feira | 18hs | Longa

Vento Forte – Dir. Patrícia Antunes, Documentário, 62′, DF, 2014

“Vento Forte”, traz a tona diversas violações ambientais e de direitos humanos que vem ocorrendo no Brasil. Os impactos causados pelo modelo de desenvolvimento adotado pelo governo brasileiro que ameaçam diariamente o modo de vida tradicional dos pescadores artesanais.

Dia 30/10/15 | Sexta-feira | 20h15 |Programa 6 curtas – Competitiva V Cinecipó

Dia da Mentira – Dir. Thiago B. Mendonça e Marco Escrivão, Documentário, 25′, SP, 2014

O filme homenageia a luta simbólica, uma parada de carnaval e um escracho público, carregado de sentimento. Um sonho radical de mudança formalizada em estética fílmica, porque a imaginação incomoda muita gente.

A Farra do Boi de Mamão – Dir. Guilherme Pozzibon, Documentário, 5′, SC, 2014

Neste documentário experimental é apresentado o retrato de duas manifestações culturais da ilha de Florianópolis: a “Farra do Boi” e o “Boi de Mamão”. Que, entrecruzadas, contam a história de um boi que resolveu cair na farra.

Migração – Dir. Ricard Carbonell, Documentário, 1′, Espanha, 2014

Migração.

Uma gota (Una gota) – Dir. Joss Sánchez, Ficção, 9′, México, 2014

Juanita, uma menina de sete anos de idade, vive em um lugar onde a água é escassa. Uma manhã, seu avô, a única família que tem, está morrendo e ela vai em busca de água na esperança de salvá-lo. Quando ela voltar vai decidir o destino daquelas poucas gotas.

Inferno – Dir. Thiago Moulin, Documentário, 25′, ES, 2015

O crack pelo ponto de vista dos usuários e ex-usuários da droga. Por quatro semanas seguidas, a equipe realizadora mergulhou na rotina dos moradores de rua da região da Vila Rubim (Vitória/ES). Oferecendo papel e tinta às pessoas que por ali circulavam, conhecemos Rodrigo Ribeiro, catador de papelão e usuário de crack, que nos surpreendeu com sua visão lúcida sobre a droga e os motivos de sua existência. Com o mesmo método de imersão, fomos apresentados aos cotidianos dos outros três personagens principais deste documentário: Felipe Tolomei (jovem terapeuta de classe média), Genilton Queiroz (barbeiro) e Leandro Martins (funcionário de um centro de recuperação de dependentes químicos). Em contato direto com suas rotinas, INFERNO investiga seus caminhos até a droga e suas lutas diárias para se manter longe delas.

Era uma vez uma sombra – Dir. Rodolpho “Urubu” Soares, Experimental, 3′, MG, 2015

Era uma vez uma sobra…agora fica a memória… que pouco a pouco vai embora. Era uma linda alameda, nem sempre ficam os ficus. Mas nem tudo está perdido, ainda podemos plantar…Podemos seguir em frente, verdes, frutas pela cidade, plante uma árvore!”

O nome do dia – Dir Marcello Quintella e Boynard, Ficção, 19′, RJ, 2015

Uma dor profunda e silenciosa une pai e mãe na saudade do filho. Para seguir adiante, eles precisam enfrentar o sofrimento desconhecido.  O filho dizia que todos os dias tinham um nome, mas partiu sem dizer o nome do dia de sua morte.

31/10/15 | Sábado | 16hs | Programa 7 curtas – Infantil V Cinecipó

1997 – Dir. Goh Wei Choon,  Jiahui Wee, 8′, Animação, Cingapura, 2014

Essa animação de recordação explora o que era ser uma criança na Cingapura dos anos de 1990. O filme segue dois observadores astutos, mas não muito confiáveis – um menino e uma menina, enquanto eles lidam com suas vidas escolares passadas.

Abiadura – Dir. Sonia Estévez Fernandez 4′, Animação, Espanha, 2015

Abiadura é uma curta-metragem de animação sobre o impacto da velocidade na vida, representado pela visão de uma passageira em um trem. Curta-metragem realizado íntegramente com materiais de desenho: cartão, tecidos, papel ou plástico. A trilha sonora, especial para esta obra, também utiliza materiais de desenho.

A Baleia e o tesouro – Dir. Alunos da Escola Municipal Dr. Tuffy Nader, 5′, Animação, ES, 2015

Uma baleia engolidora de gente guarda um tesouro precioso na boca do Rio Jucu.

Bolhas (Bubble) – Dir. Lam Yee Shing, Quek Yu Lin, Poh Ya Ching, 6′, Animação, Cingapura, 2014

O encontro casual de uma menina e um gato numa pequena vila do sudeste asiático.

Chão – Dir. Marcio Nascimento, 2′, Ficção, AM, 2014

Jovens estudando observam alguns garotos, passarem próximo a lixeira e mesmo assim jogam o lixo no chão, os levando a uma ideia surpreendente.

Lixúvio – Dir. Hugo Oda, 2′, Animação, SP, 2014

Em uma pequena cidade, apenas um habitante usa seu lixo para construir algo útil. Quando o acúmulo de lixo se torna insustentável uma grande catástrofe acontece.

MiMO – Dir. Chang Pei Yee, Oon Qian Yi Shannon, Animação, 2′, Cingapura, 2014

MiMO é uma animação 2D tradicional criada com tinta preta e cores pastéis. Insprirada pelas linhas e cores das pinturas de Juan Miró, MiMO é uma peça abstrata que explora a arte da emoção.

A Rua é pública – Dir. Anderson, 13′, Ficção, MG, 2013

Eles tinham a bola, o time e nenhum lugar pra jogar. Sem campo, quadra ou rua, algumas crianças do assentamento Eliana Silva, não acham que disputa de pênaltis seja uma grande aventura, mas isso está prestes a mudar.

O Semeador de planetas – Dir. Marcelo Tanure, 12′, Animação, MG, 2014

No centro do universo está a resposta para  a pergunta mais importante feita pelo homem: De onde viemos? Alguns dizem que o universo foi criado por Deus. Outros que tudo não passou de uma grande explosão. A verdade é muito mais simples: tudo não passou de uma travessura.

A Rua é pública – Dir. Anderson Lima, 9′, Ficção, MG, 2013

Eles tinham a bola, o time e nenhum lugar pra jogar. Sem campo, quadra ou rua, algumas crianças do assentamento Eliana Silva, não acham que disputa de pênaltis seja uma grande aventura, mas isso está prestes a mudar.

Dinossauro Rex – Dir. Alunos da Escola Mariano F. Nazareth, 3′, Animação, ES, 2014

Rex era um dinossauro como outro qualquer até que decide rever seus conceitos.

O Lixo que habito – Dir. Daniel Veloso, 1′, Animação, MG, 2014

Quando você suja o mundo, toda a sujeira volta para você.

Rota 52 (Route 52) – Dir. Jacinth Tan Yi Ting, Tok Xue Yi, 2′, Animação, Cingapura, 2014

O que acontece quando a jornada de um adolescente maluco cruza o caminho de um concurso hotdog cansado de terminar o seu turno? Assista ao encontro louco do par improvável e sinta o inesperado!

Zaga de bonecas – Dir. Anderson Lima, 8′, Ficção, MG, 2013

Meninas e bonecas? É assim que um grupo de garotas se apresenta pra pelada. Depois de serem expulsas da rua, elas retornam pro campinho improvisado e ocupam a pequena área.

Recicla a Pet! – Dir. Priscila Limonta Carvalho, Animação, 1′, SP, 2014

Uma capivara que mora em um rio nada tranquilamente quando é atingida na cabeça por uma garrafa pet. Irritada, arremessa a garrafa para longe, acertando outro animal, que decide tomar a mesma iniciativa e joga a garrafa para longe novamente, isso se repete até a garrafa voltar para capivara que dessa vez decide tomar uma atitude mais consciente e separar corretamente o lixo para ser reciclado.

Vai que é tua Tafarinha – Dir. George Augusto, 5′, Ficção, AM, 2014

Jovens estudando observam alguns garotos, passarem próximo a lixeira e mesmo assim jogam o lixo no chão, os levando a uma ideia surpreendente.

31/10/15 | Sábado | 18hs | Longa

Revolução Industrial – Dir. Tiago Hespanha e Frederico Lobo, Documentário, 72’, Portugal, 2014

O Vale do Ave é, desde há mais de um século, um território tomado pela imposição da indústria. Entre ruínas e fábricas em funcionamento, desce-se o rio numa viagem pelas margens do presente, desenterrando as marcas do passado.

31/10/15 | Sábado | 19h30 | Programa 8 curtas – Competitiva V Cinecipó

Com Fome no Fim do Mundo – Dir. Marcus Curvelo, Ficção, 29′, BA, 2014

Músico frustrado transforma-se em corretor de imóveis fracassado. Tudo corre mal, até que todos os corretores da cidade desaparecem e ele tem a chance de vender seu primeiro apartamento.

Um dia – Dir. Angelo Defanti, Documentário, 20′, RJ, 2015

Marcelo vive um dia nublado no Rio de Janeiro.

Novo mercado (Nuevo Mercato)- Dir. Sebastiano Caceffo, Documentário, 12′, Itália, 2015

Este documentário segue o caminho de distribuição que usualmente traz frutas e verduras para nossas mesas. A escolha foi, entretanto, abordar pessoas que encontraram uma alternativa para o sistema de consumo que cresceu com base no desperdício. Porém não é fácil burlar isso, pois há um conjunto de leis, empresas e a moral. Mas esta nova geração de jovens não se envergonha a se opor a esta loucura racional que é aceita como um simples hábito.

O Corpo é meu – Dir. Luciana Oliveira, Documentário, 24′, SE, 2014

O filme questiona o modo como a mulher e o seu corpo é representado na mídia televisiva. Ouvindo depoimentos de mulheres comuns, militantes e uma profissional da publicidade, o documentário promove uma reflexão sobre a situação da mulher nos dias de hoje na TV brasileira. É um filme de mulheres, escrito e realizado prioritariamente por mulheres, como um grito de protesto contra a objetificação do corpo feminino e os estereótipos criados pela mídia, que a prejudica física e psicologicamente e a reprime impondo ideias machistas, como padrões de beleza e comportamento.

Anúncios